quinta-feira, outubro 07, 2010

Uma Amizade Diferente

Quem já trocou correspondências com amigos virtuais ou não, sabe o quão deliciosa é essa intimidade o ato de trocar confidências, desabafar, falar sobre a vida, ou simplesmente contar as novidades a alguém através de uma carta.

Além disso, quem costumava fazer isso, sabia o quanto é angustiante esperar pela resposta do destinatário. Em tempos de internet em que nos comunicamos com rapidez e instantaneidade através do e-mail, redes sociais ou do Messenger, esse costume vem sendo deixado de lado, mas para algumas pessoas nunca será extinto.

Mary e Max – Uma Amizade Diferente é uma animação em stop-motion (aquela com bonecos de massinha) feita para adultos. Começando pelas cores, ou melhor, a quase ausência delas, talvez para deixar a solidão dos personagens ainda mais palpável. Mary (Tony Collette) é uma garota de 8 anos que vive na Austrália, além de não ter amigos, os pais não lhe dão muita atenção. A mãe é viciada em xerez e vive bêbada, e o pai trancado no quartinho empalhando aves mortas.

Max (Philip Seymor Hoffman) é um homem de 44 anos, vive em Nova York, é obeso, viciado em chocolate, também solitário e portador da Síndrome de Asperger que quase não lhe permite interagir com outras pessoas, além de não tolerar mudanças em sua rotina. Ele vive rodeado de animais como um peixe, um papagaio e um gato de um olho só.

Um dia Mary vai ao correio com sua mãe e encontra um catalogo de endereços de Nova York, e ao acaso encontra o endereço de Max, e escreve para ele perguntando como os bebês são feitos na América. Já que na Austrália eles nascem do fundo de uma caneca de cerveja. A partir daí duas pessoas que nunca tinha encontrado uma amizade passam a compartilhar pequenas coisas durante uma década.

O diretor opta por uma narrativa divida em blocos, quase sem diálogo, mas com uma narração eficiente que nos conduz durante todo o filme. Através de muitas reflexões sobre como as coisas simples da vida podem ser extraordinárias, Além de várias referências divertidas aos anos 80, que vão desde de Salve Ferris (Curtindo a Vida Adoidado) a títulos de livros de auto-ajuda. Tudo permeado por um humor sutil, que nos lembra de não levar a vida tão a sério em alguns momentos.

A amizade é o bem mais precioso que existe. Não importa o quão diferente duas pessoas sejam, quando há uma amizade verdadeira, essas pessoas são unidas pelo coração. E que ter amigos verdadeiros, mesmo a distância, é uma dádiva de Deus. É essa a mensagem que fica ao ser assistir Mary e Max – Uma Amizade Diferente.

Clique aqui para assistir ao trailer.

Um comentário:

Clara disse...

Oh vi adorei a critica sempre me surpeendo quando leio seus textos e fico todo orgulhosa, porque posso dizer ta vendo esse ai e meu melhor amigo :)
Mesmo eu estando do outro lado do oceano nossa amizade nao mudou somente cresce a cada dia eu dou muito grata e feliz por isso xxx