domingo, janeiro 03, 2010

Uma Experiência Interessante


Avatar marca o retorno de James Cameron, após um hiato de 12 anos depois do mega sucesso de Titanic. O cineasta apesar de não lançar nenhum filme, esteve esse tempo todo ocupado com o desenvolvimento de uma tecnologia que permitisse a realização desse ambicioso projeto. A Weta, empresa de Peter Jackson, responsável pelos efeitos da trilogia O Senhor dos Anéis, foi uma das principais parceiras da empreitada. Especialistas dizem que o projeto custou em torno de 600 Milhões de Dólares, mas o diretor nega essa quantia. Orçamento a parte, o resultado tem sido animador, somente nos EUA, o filme arrecadou 300 Milhões em apenas 15 dias de exibição. E uma continuação não deve demorar, já que há muito a ser explorado.

O resultado final do planeta Pandora (local onde se passa a ação) e do movimento dos personagens impressiona pela beleza visual e riqueza de detalhes. Plantas com um aspecto fosforescente e animais parecem ter sido desenvolvidas por cientistas. E claro seus habitantes os Na´Vi, criaturas azuis, que parecem uma mistura de humanos gigantes com felinos. A trama deixa alguns detalhes em aberto, o ano em que se passa a estória não é mencionado e pelo que se sabe a Terra teve seus recursos esgotados.

E é neste planeta explorado pelos terráqueos, que desperta Jake Sully (o ótimo Sam Worthington), um fuzileiro naval paraplégico, que veio substituir o irmão gêmeo morto em um projeto chamado Avatar. Onde se utiliza uma mistura entre o DNA humano e do povo Na´Vi para criar um ser que possa interagir com os nativos e estudá-los com precisão. Mas o ser humano com sua imensa ganância está mesmo é interessado em explorar um precioso mineral encontrado no planeta, nem que para isso tenha que destruir todo o planeta e seus habitantes. Avatar é mais que um filme, é uma experiência de imersão em um mundo novo e selvagem, realçado pela tecnologia 3D, que dá uma profundidade aos cenários e um realismo impressionante a personagens, animais e plantas que quase podem ser tocados.

Essa tecnologia vem crescendo rapidamente, o número de lançamentos e relançamentos cresce a cada ano e as salas de cinema estão se adaptando ao formato. Essa parece ser a saída encontrada pela indústria cinematográfica para atrair o público para ver os filmes na tela grande em tempos de pirataria e downloads ilegais. O único ponto fraco dessa tecnologia são os óculos são extremamente desconfortáveis, especialmente para quem já usa óculos. Mas isso deve ser resolvido em breve.