quinta-feira, dezembro 27, 2007

Mestres do Jogo

Sidney Sheldon é um dos autores mais lidos do século XX. Vendeu mais de 300 milhões de livros em todo o mundo. O autor iniciou sua carreira em Hollywood como revisor de roteiros em 1937, além de colaborar em inúmeros filmes de segunda linha. Teve uma carreira eclética escreveu musicais para a Broadway, além de roteiros para a MGM e Paramount. Além disso é criador de séries televisivas de sucesso como: Jeanie é um Gênio e Casal 20. É até hoje o único escritor a receber os quatro prêmios mais cobiçados da industria cultural americana: o Oscar (cinema), o Emmy (tv), o Tony (teatro) e o Edgar (literatura de suspense). Sheldon morreu no dia 30 de janeiro de 2007, em Los Angeles, aos 89 anos, devido a complicações causadas por uma pneumonia.
O Reverso da Medalha (Masters Of The Game), foi lançado em 1982, e é um de seus melhores romances, para muitos o melhor. Narra a estória da dinastia Blackwell, durante um período de 100 anos. Iniciando com as aventuras do patriarca David, que deixa a família na Escócia e vai até a Africa do Sul para garimpar diamantes. Lá acompanhamos seu sofrimentos e sua obstinação em encontras essas pedras preciosas. Após David, acompanhamos a trajetória de Kate, sua filha e herdeira do seu império. Ela é praticamente a espinha dorsal do livro e a personagem mais fascinante da obra, acompanhamos sua juventude e a sua assenção no mundo dos negócios. Kate é uma mulher sem escrúpulos, que domina esse mundo de maneira cruel não hesitando em sacrificar quem procura impedir seu caminho.
Já na última parte somos apresentados às gêmeas Eve e Alexandra, apesar de iguais na aparência, tem personalidades bem distintas. Enquanto Alexandra é doce e ingênua, Eve é sádica e maliciosa e é capaz de tudo para destruir a irmã e herdar a fortuna da família sozinha.
Enfim, O Reverso da Medalha é uma leitura agradável, com um texto dinâmico, cheio de reviravoltas como todo bom romance, que prende o leitor do início ao fim. Um último aspecto interessante é a tradução equivocada do título em português, Masters Of Game em uma tradução literal seria “Mestres Do Jogo” e inexplicavelmente virou “O Reverso da Medalha” por aqui. Um título como “Mestres do Poder”, por exemplo, seria bem mais coerente.

quarta-feira, dezembro 26, 2007

Declaração de Amor

Paris, Te Amo, é espetacular. Como logo no início avisa, é um filme coletivo, uma eclética junção de cineastas e atores consagrados do mundo inteiro. Nomes como: Walter Salles e Paula Thomas, Irmãos Cohen, Alexander Payne, Wes Craven, Gus Van Sant, Alfonso Cuáron e muitos outros dão o tom a esses 18 curtas, todos passados em alguma parte de Paris seja em um ponto turístico ou num bairro mais pobre.
Os curtas passeiam por diversos gêneros como: drama, romance, comédia e até mesmo terror (dentre eles há uma história de vampiros), mas sempre falando de amor. Afinal de contas a Cidade Luz é um das mais românticas do mundo.
Como se a quantidade de estrelas na direção não fosse suficiente, a constelação de atores que participam dos curtas é ainda mais brilhante: Natalie Portman, Fanny Ardant, Catalina Sandino Moreno, Elijah Wood, Juliette Binoche, Maggie Gyllenhaal .
Todo esse ecletismo gera um filme irregular, cada qual com a identidade de seu realizador, alguns curtas se sobressaem aos outros. Como é o caso de Tuileries dirigido pelos irmãos Joel e Ethan Coen em que um turista norte-americano desavisado (Steve Buscemi) aprende da pior maneira que é falta de educação encarar estranhos, e acaba levando uma surra no metrô. Além de Longe do 16º Distrito dirigido pelos brasileiros Walter Salles e Daniela Thomas que narra a estória de uma imigrante (Catalina Sandino Moreno) que deixa o filho todos os dias na creche e atravessa a cidade para trabalhar em bairro distante como babá de uma criança da mesma idade. Destaque também para Père-Lachaiseem de Wes Craven em que um casal de turistas (Emily Mortimer e Rufus Sewell) visitando túmulos famosos, eles reencontram o amor com uma ajudinha de Oscar Wilde em pessoa, ou melhor do fantasma do autor de O Retrato de Dorian Gray.
Após o filme só aumenta a vontade de passear por Paris, ver todas essas belas paisagens. Uma bela homenagem à Cidade Luz.
No DVD praticamente não existem extras, apenas sinopse, ficha técnica e trailers de outros lançamentos da distribuidora.